Outubro, 2020

Ter13Out21:0023:00Evento finalizadoFairytales of Growthparadigma dogmático do crescimento económico21:00 - 23:00 Padaria do PovoTema:Crise Ambiental,Crise Económica,EconomiaTipo:Debate / Conversa,Filme

Descrição

O evento contará com a projeção do filme, e uma discussão entre a audiência e convidados que incluirão ativistas climáticos, estudiosos do crescimento e outr@s.

O documentário “Fairytales of Growth (2020)” questiona o paradigma dogmático do crescimento económico, apontando as suas incongruências e impossibilidades materiais. Sendo que o crescimento económico constante é baseado na exploração humana e ambiental, e depende da sempre e cada vez maior extração de materiais, e consumo de energia (incluindo fossil, com a consequência das emissões de CO2), a sua incompatibilidade com politicas verdadeiramente ambientais é exposta, e um novo paradigma – o do decrescimento – é avançado.

Inscrições

A participação neste evento requer inscrições. A lotação é limitada a 35 pessoas.

Intervenientes

  • Guilherme Serôdio

    Guilherme Serôdio

    Guilherme Serodio voltou de Bruxelas há cerca de um ano para refocar a sua luta na construção de comunidades de resistência, transição e decrescentistas. Na Bélgica foi co-fundador do ExtinctionRebellion, de uma fundação de financiamento descentralizado, de um partido político centrado na tiragem à sorte como complemento á democracia representativa, entre outras coisas que permitissem experimentar com novas maneiras de agir coletivamente, construir comunidades fortes e trazer para primeiro plano abordagens feministas e regenerativas capazes de nutrir os novos mundos por que procura. É crítico e teórico amador do decrescimento, plantador de árvores, água e comunidades. Hoje em dia dedica-se à transição em Montemor-o-Novo, e á luta onde esta lhe for possível, eficaz e desejável.

  • Inês Cosme

    Inês Cosme

    Inês Cosme é doutorada em Estudos sobre a Globalização e formada em Engenharia do Ambiente, ambas pela Universidade NOVA de Lisboa. É investigadora no CENSE - FCT NOVA desde 2012 no grupo de Economia Ecológica e Gestão Ambiental, e é detém atualmente tarefas de gestão e comunicação de ciência no centro. No seu trabalho de investigação tem explorado a teoria e as práticas do decrescimento, investigando o papel de iniciativas bottom-up e top-down na transformação das relações económicas e sociais, e revelando de que forma estas podem contribuir para restaurar uma maior pluralidade de valores, cooperação e solidariedade na sociedade.

Organizações

Rede para o DecrescimentoSomos a Rede para o Decrescimento (Rede DC), cujas actividades tiveram início em Julho de 2018. Trata-se de uma estrutura organizada em rede, que conta presentemente com núcleos activos no Porto e em Lisboa, que pretende ligar todos os que se interessam, estudam, praticam ou defendem as propostas do decrescimento. Constituída informalmente, aguardamos a realização, em data e local a anunciar, do 1.º Encontro Nacional do Decrescimento, onde será decidida a sua estrutura formal definitiva. A acção da Rede DC desenvolve-se em três vertentes principais: (1) intervenção social, cultural e política em todos os domínios em que o decrescimento pode ser proposto como uma resposta alternativa aos problemas e impasses da nossa sociedade; (2) organização de encontros, colóquios, cursos e seminários sobre o decrescimento e questões próximas, incluindo a edição e difusão de publicações sobre o decrescimento sob a forma de folhas volantes, livros, periódicos, vídeos, conteúdos online, etc.; (3) estruturação de uma rede de apoio mútuo entre todos aqueles – pessoas individuais e colectivas – que pretendem experimentar e desenvolver práticas autónomas de decrescimento, seja na cidade ou no meio rural, seja individual ou comunitariamente.geral@decrescimento.pt

Padaria do PovoRua Luis Derouet, 20-A 1º

Inscrição

Inscrições fechadas

Inscreve-te para poderes participar neste evento

Não consegues participar?Cancela a tua inscrição

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

X
X
X