Outubro, 2020

Qui15Out20:0023:00Evento finalizadoSegurança alimentar e racismo20:00 - 23:00 Casa da AchadaTemas:AgroflorestaTipo:Filme,Palestra

Descrição

Apresentação do documentário realizado por Ana Stela Cunha e Rodrigo Sena no Quilombo de Damásio, Amazônia brasileira, onde a investigadora tem trabalhado há 23 anos. No Quilombo de Damásio, terra doada por um senhor de engenho a três das suas escravas, o alimento tem sido secularmente cultivado e extraído da natureza de forma parcimoniosa, fazendo parte de uma estrutura social que privilegia o grupo. O documentário retrata parte destes saberes, tendo a comida um papel fundamental na coesão do grupo.

A Grande ceia quilombola

No Quilombo de Damásio, terra doada por um senhor de engenho a três das suas escravas, o alimento tem sido secularmente cultivado e extraído da natureza de forma parcimoniosa, fazendo parte de uma estrutura social que privilegia o grupo. O documentário retrata parte destes saberes, tendo a comida um papel fundamental na coesão do grupo.

https://www.youtube.com/watch?v=GjUflwHqTFg

Inscrição

Inscrições fechadas

Inscreve-te para poderes participar neste evento

Não consegues participar?Cancela a tua inscrição

Intervenientes

  • Ana Stela de Almeida Cunha

    Ana Stela de Almeida Cunha

    Ana Stela Cunha é Doutorada em Linguística Africana pela Universidade de São Paulo e Pós Doutorada em Antropologia Soacial pelo ICS – Instituto de Ciências Sociais e CRIA, em parceria com o MRAC (Museu Real de África Central, Tervuren, Bélgica), tendo trabalhado sobre as noções de cura e feitiço na sociedade bacongo (Floresta do Mayombe, Congo/Angola) e na diáspora (Cuba e Brasil). Viveu grande parte de sua vida entre Cuba, Maranhão e Congo/Angola, buscando conhecer melhor as relações tecidas ao longo dos séculos de escravidão naquilo que diz respeito às memórias e identidades. Foi investigadora convidada no Musée Real de l´Afrique Centrale (Tervuren, Bélgica) e Universidad de La Habana. Actualmente é investigadora associada no CRIA (Centro em Rede de Antropologia, FCSH Universidade Nova de Lisboa), CEI (Centro de Estudos Internacionais, Universidade de Lisboa), CITCEM (Universidade do Minho) e Professora Adjunta na UFMA (Universidade Federal do Maranhão. Desde 2010 têm realizado etnodcumentários. Faz parte da banda YOKA KA!, formada por músicos e artistas congoleses e portugueses, realizando pesquisas musicais afro-atlânticas. É sócia fundadora do InMune (Instituto da Mulher Negra), membro do EducAR (Grupo de Educação Anti Racista em Lisboa) e presidente da Associação Kazumba (PT).

    URL https://sobola.hypotheses.org/

Organizações participantes

Associação KazumbaAssociação Kazumba é formada por artistas, académicos e activistas de distintos países e com as mais variadas formações para contribuir com o aprofundamento de debates reflexivos e formação de um arquivo artístico contemporâneo tendo como parâmetro para sua constituição o denominado sul global..

Grupo EducARO Grupo EducAR é uma plataforma de educadores antirracistas que faz uso da arte-educação para combater o racismo. grpeducar@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

X
X
X